Sucesso é meta, todo resto é “achismo”*

Padrão

Sua vida apenas se torna ótima quando você estabelece metas e trabalha para que elas sejam atingidas, estabelecendo um plano de ação e seguindo este plano. É tudo sobre conquistar seus objetivos. Mas você já definiu suas metas? Ou melhor: sabe especificar esses objetivos?

O processo de estabelecimento de metas:

1. Decida exatamente o que você quer em cada área-chave da sua vida. Idealize, imagine que não há limitações. Se sua vida fosse perfeita em cada área, como seria?

2. Declare a sua meta. Suas metas devem ser escritas, de forma clara e específica, detalhando cada aspecto dela. São poucos os adultos que botam seus objetivos no papel.

3. Estabeleça um prazo para cumprir suas metas. A mente vê os prazos como “sistemas de pressão”, o que ajuda no cumprimento dos objetivos. Se sua meta for a longo prazo, decomponha-a em partes e prazos menores.

4. Identifique os obstáculos que o separam de seu objetivo. A regra do 80/20 se aplica às restrições: 80% dos obstáculos estão dentro de você, apenas 20% são restrições externas.

5. Identifique tudo o que você precisa saber e/ou fazer para alcançar seu objetivo. Comportamentos, habilidades, conhecimentos, tudo é importante para a realização das metas.

6. Identifique as pessoas cuja ajuda pode lhe ser útil na realização de suas metas.

7. Faça uma lista de tudo o que precisa fazer para alcançar seus objetivos. Escreva tudo o que foi citado nos ítens anteriores: os conhecimentos necessários para o sucesso, os obstáculos que você poderá enfrentar e as pessoas cuja ajuda você precisará. Assim, a meta fica mais acessível, palpável.

8. Organize a sua lista em um plano de ação, em etapas.

9. Divida esse plano em unidades menores e planeje-as com antecedência. Quando você tem uma meta e um plano, a probabilidade do objetivo ser alcançado aumenta em 10 vezes.

10. Estabeleça suas prioridades diariamente. Escolha uma tarefa para fazer a cada dia.

11. Desenvolva autodisciplina. Uma vez escolhida a tarefa do dia, concentre seus esforços nela até que esteja terminada.

12. Visualize suas metas. Imagine seus objetivos atingidos. Quando você combina objetivos claros, visualização e emoção, ativa sua mente, fazendo com que ela encontre soluções para todos os problemas no caminho para seu objetivo.

*Texto adaptado do livro Manual Completo de PNL.

blog_assinatura

Liderança: como funciona?

Padrão

“A liderança é a capacidade de conseguir que as pessoas façam o que não querem fazer e gostem de o fazer.” Harry Truman

Mas como se desenvolve este tipo de habilidade? Para entendermos como o coaching desenvolve Líderes e Gestores, vamos falar dos sete princípios básicos que nunca mudam em termos de liderança, independentemente do tipo de organização.

Aproveite e faça uma auto-avaliação, utilizando uma escala de 1 a 10 para identificar seu grau de habilidade em cada uma destas áreas. Isso determina o valor e a contribuição que você tem gerado para a sua organização e para você mesmo.

1. Estabelecer e atingir as metas do seu negócio: a razão número um para falhas em empresas e executivos é a inabilidade de atingir as metas de vendas, crescimento e rentabilidade pelas quais cada líder é responsável.
Estabelecer e atingir metas de negócio envolve cada parte do planejamento estratégico e do planejamento de marketing , incluindo produtos, serviços, pessoas, produtividade, promoção, finanças e reações competitivas.

2. Inovar e comercializar: segundo Peter Drucker, “O objetivo de uma empresa/negócio é criar e manter clientes“.
Apenas através da inovação contínua de produtos, serviços, processos e métodos promocionais é que as empresas podem criar e manter clientes. “Todo o planejamento estratégico é um planejamento de mercado.”

3.Resolver problemas e tomar decisões: isso é absolutamente importante. Você deve dominar esta habilidade para ser um líder eficaz. Lembre-se: um objetivo não alcançado é apenas um problema sem solução. Sempre há obstáculos que se interpõem entre você e o sucesso do seu negócio. A sua capacidade de passar por estes problemas é central para o seu sucesso.

4. Definir prioridades: concentre-se em tarefas-chave. Um dos trabalhos mais importantes que você faz é distribuir recursos, especialmente de pessoas e dinheiro, para as áreas em que eles podem fazer a maior contribuição para o sucesso da sua empresa. O tempo é seu recurso mais escasso. É limitado, perecível, irrecuperável e insubstituível. A maneira como você aloca seu tempo pode ser determinante para o que você consegue ou não.

5. Ser um modelo: ao longo do tempo, o exemplo que você estabelece define o tom do seu departamento ou organização. Não há maus soldados sob um bom general. Uma das grandes questões que o líder deve se perguntar é: “que tipo de empresa seria a minha se todas as pessoas que trabalham nela fossem como eu?“. Líderes devem atuar como se todos o estivessem olhando, mesmo quando não há ninguém por perto.

6. Persuadir, inspirar e motivar outros a segui-lo: os melhores líderes não criam seguidores, mas outros líderes. É verdade que você quer que seu povo tenha iniciativa e liberdade de agir sobre essa iniciativa, mas tudo deve estar a serviço do que você está tentando alcançar como líder.
Você tem que ganhar a confiança e o respeito de seu pessoal. Esta é a chave para uma liderança sustentável de sucesso.

7. Agir e obter resultados: em última análise, a sua capacidade de obter os resultados que são esperados de você representam o fator que determina o seu sucesso.

Todas estas habilidades passam áreas como gerenciamento emocional, superação de medos, relacionamentos interpessoais, desenvolvimento da comunicação, manutenção do foco, gerenciamento de ambientes de crise, tomada de decisão eficiente, formação de equipes e mudanças comportamentais. Todas estas habilidades são desenvolvidas no coaching para Líderes e Gestores oferecidos pelo Grupo Academus. Entre em contato pelo e-mail, telefone ou Facebook para mais informações.

O que é personalidade?

Padrão

Perguntar a alguém o que é personalidade é uma experiência interessante. A diversidade de opiniões e depoimentos reflete o que todos sabemos: definir personalidade é uma tarefa difícil, pois abarca praticamente todas as explicações que damos acerca de nós mesmos. Personalidade compreende nosso comportamento, nossos valores, nossa maneira de pensar e uma variedade de outras características. Em vez de definir o que é personalidade, então, a pergunta que podemos nos fazer é porque a personalidade existe de maneira tão variada. Por que somos todos diferentes? Por que isso importa? Ainda assim, esclarecer um pouco mais sobre os traços comuns da personalidade pode ser de grande valia.

Podemos partir de um princípio: a personalidade humana existe baseada nas interações sociais. É relacionando-se com outras pessoas que o comportamento humano se manifesta, por meio dos modos de interação, das reações a determinadas situações, das escolhas de tópicos em uma conversa ou mesmo, mais sutilmente, na escolha de palavras para expressar uma ideia. Fundamentalmente, isso tudo remete aos valores e ao modo de pensamento, mas uma coisa é certa: o comportamento humano é essencialmente interpessoal ou social.

De acordo com Dr. Tomas Chamorro-Premuzic, professor de Psicologia nos negócios nas Universidades College London e Columbia, desde as civilizações mais antigas, ainda que muitas mudanças tenham acontecido, em relação ao comportamento humano, três características permanecem.

  1. As pessoas sempre viveram em grupos, humanos são fundamentalmente animais sociais;
  2. Esses grupos sempre têm hierarquias, pessoas no comando, líderes;
  3. As pessoas têm que ter um sistema de significado formal. Religião, filosofia, ciência, algo que as ajude a dar sentido ao mundo.

Partindo desses padrões sociais que atravessam eras, surgem três generalizações de comportamento, ou seja, traços de personalidade característicos do ser humano em geral: a busca por se relacionar bem com as pessoas, o desejo do sucesso e a procura por um sentido para viver.

Mesmo esses desejos, porém, têm ainda mais uma variável, que é a perspectiva. Quando falamos de personalidade, é preciso considerar a personalidade  “interna”, o conjunto de características que nós mesmos percebemos como nossa personalidade – conhecida como identidade –, e a“externa”, ou seja, aquela que o mundo à nossa volta percebe – que também chamamos de reputação. Após essa breve elucidação, retomemos a pergunta. “Por que a personalidade importa?”

Pense sobre a sua última entrevista de emprego. As chances são que você passou por dezenas de perguntas com o objetivo de determinar se você teria sucesso no trabalho para o qual estava sendo entrevistado e se você teria potencial para subir na empresa para um cargo de liderança. Mas quando falamos de previsão de performance, só três coisas importam: se você consegue fazer o trabalho, se você vai gostar do trabalho e o que pode atrapalhá-lo.(http://www.hoganassessments.com/content/why-personality)

Este é um exemplo prático de situação em que a personalidade importa. Porém, mais do que simplesmente compreender o que as suas características são, é importante entender o que elas fazem por você e de que modo você pode trabalhar com seus traços para melhorar sua vida.

Abaixo, um documentário que discute personalidade nos parâmetros já citados, mas aprofundando alguns conceitos. Vale o visionamento.

O que é coaching?

Padrão

O trabalho inicia-se normalmente pela definição dos objetivos visados pelo cliente, que podem abranger áreas diversas, desde a gestão do tempo à motivação de equipes, entre outras. As questões ou temas podem ser de cunho pessoal ou profissional que contribuam para o desenvolvimento de um ou mais clientes.

Definida a meta, é feita uma análise do que contribui ou impede o alcance da meta, considerando tanto a personalidade do cliente quanto o cenário em que está inserido. Nesta fase, valores e crenças são confrontados com a meta e descobre-se se há congruência entre eles. O coach avalia as forças e fraquezas do seu cliente em relação aos objetivos visados e ao meio em que este atua, e define um plano que permita alcançar os resultados desejados. A partir destas informações, são estabelecidas as fases do Plano de Ações, que compreende evidências claras de atingimento, prazo determinado, recursos necessários e o comprometimento do próprio cliente frente ao desafio.

A duração do processo é em geral de 3 a 4 meses, dependendo do caso e da resposta de cada indivíduo. É possível atingir resultados significativos através de sessões de uma hora, presenciais ou não, dependendo da disponibilidade do cliente e da técnica utilizada pelo coach. Há um sistema de co-responsabilidade no processo de coaching: apesar de haver a orientação, o resultado é de responsabilidade do cliente.

Coaching é uma abordagem de desenvolvimento humano e profissional que tem como objetivo auxiliar profissionais de qualquer área de atuação a maximizar seus resultados com base na otimização de seus próprios recursos técnicos e emocionais. Com base neste desenvolvimento, o coach atua como um “olho externo” para seu cliente, apoiando-o em seu autoconhecimento através de um ângulo novo de visão. Os resultados são percebidos pelo próprio cliente e pelas pessoas que fazem parte de seu círculo de convivência.

O coaching pode funcionar como uma forma de estímulo e acompanhamento a longo prazo, adaptada às necessidades de desenvolvimento pessoal. Além de ser um fomento para a motivação, o rendimento e o sucesso do cliente, também é uma medida inovadora que, utilizando-se das habilidades que o cliente já possui, contribui para a estabilização e desenvolvimento contínuo do procedimento profissional.

 

blog_assinatura

Novidades

Padrão

Este é o blog do Grupo Academus. Neste espaço, você encontrará conteúdo relacionado ao coaching, bem como às demais áreas da empresa. O material será produzido especialmente para o blog pelos nossos profissionais.

Aqui você também poderá ler sobre os serviços do Grupo Academus, e acompanhar as novidades da empresa.

Acompanhe-nos nessa nova jornada!

Pare de procrastinar!

Padrão

Confira as dicas do nosso coach Maurício Metzen para parar de adiar suas tarefas.

Dica 1 – Bote os objetivos no papel.

3_548_1395422764
Liste as etapas do trabalho com antecedência: basta escrever cada detalhe de forma completa e focada, e isto irá ajudá-lo a parar de procrastinar.

Dica 2: Esteja totalmente preparado.

things-organized-neatly-clipboard

Certifique-se que você tem tudo a mão quando iniciar o trabalho, de forma que não precise se levantar ou se mover até que a tarefa esteja feita. Estar totalmente preparado é um poderoso motivador para permanecer com a tarefa até que esteja terminada.

Dica 3: Faça uma coisa pequena para começar.

standing on a tarmac road with yellow arrow print
Há uma regra que diz que, muitas vezes, os primeiros 20% da tarefa são responsáveis pelos outros 80% da tarefa. Depois de ter tomado um pequeno passo para iniciar o trabalho, você vai parar de procrastinar.

Dica 4: Não tente realizar todo o trabalho de uma só vez.

office-work
Às vezes a melhor maneira de concluir um trabalho importante é realizá-lo por partes. Quando você seleciona um pequeno pedaço da tarefa e, em seguida, disciplina-se a fazê-la, muitas vezes isto lhe dá o impulso para combater a inércia.

Dica 5: Faça a tarefa que lhe causa mais medo ou ansiedade primeiro.

frustrated-at-work
Muitas vezes, tem a ver com superar o medo do fracasso ou a rejeição de alguém. De qualquer maneira, você será mais eficaz se lidar primeiro com o mais difícil. Muitas vezes, isso vai quebrar o impasse do seu trabalho e libertará você mentalmente e emocionalmente para fazer o resto.

Dica 6: Pense sobre as conseqüências negativas.

mbaxqdwuktvwywr0opf5
O que vai acontecer se este trabalho não for feito dentro do cronograma? Tanto o medo quanto o desejo são grandes motivadores do comportamento humano. Às vezes você pode se motivar para a ação pensando sobre o que vai acontecer com você se não fizer as coisas como prometido.